sexta-feira, 12 de junho de 2009

tons azuis


O azul é muito inspirador. Traz uma paz para as peças. Pratinho de sopa da Amanda.

sábado, 6 de junho de 2009

meu copo de chá e o copo da batiyan(vovó)



Tive vontade de reproduzir um presente que eu ganhei de minha avó japonesa, um copo de chá. Tem o ideograma da nossa família, na frente o T e atrás o Zuka.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

minhas crianças


Estes são meus filhos : Fernando e Amanda.

A amizade que existe entre eles supera o ciúmes de atenções. Ele tem um senso de cuidado com a irmãzinha.

sábado, 11 de abril de 2009

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Sonho

Certa noite tive um sonho em que eu pintava um Maneki Neko de preto. No Japão, o preto significa proteção. Minha avó dizia que era bom ter um Maneki Neko preto.
Pintei meu primeiro e deixei em casa, junto com os outros, em uma prateleira que ficava de frente à porta.
Em uma época de Natal, decidí levar meus Maneki Neko pra uma feira de artes de Campinas...resultado: tive de vender até os meus!
Depois do sucesso, eles passaram a ser meus produtos, feitos à partir de modelos importados do Japão. Adoro pintá-los, além de trabalho, é um lazer. Melhor ainda é contar as histórias sobre eles.

Amuletos

Maneki Neko e Daruma San

Criados no período Edo no Japão simbolizam sorte, pedidos e esperanças.
Estão presentes em praticamente todos os estabelecimentos comerciais de japoneses e descendentes.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

quarta-feira, 18 de março de 2009

Minha idéia de cerâmica

Sempre que penso em cerâmica, penso em utilitários, que são minhas paixões.
Costumo modelar louças, mas os vasos também me fascinam, por sua possibilidade de flores.
Colocar a cerâmica como louça de casa foi minha idéia original.
Hoje é o que se usa aqui em casa.

quinta-feira, 12 de março de 2009

A refeição servida na louça certa

Minha memória sobre louça vem da minha infância.
Na casa de meus avós paternos, conheci a cerâmica japonesa e a porcelana.
Os armários eram feitos pelo meu avô, e as madeiras perfumavam seus interiores e as louças guardadas neles.
Tudo refletia um requinte, desde um simples chá, até um almoço para duzentos convidados.
Aquela visão me encantava, enchia os olhos e eu queria saber quem era que fazia tais peças que traziam aos olhos tanta beleza...